Bem-vindo ao nosso site

"Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. A  Palavra era a fonte da vida, e essa vida trouxe luz para todas as pessoas. A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la."  João, cap. 1, 2-5.

 

 

 

PRESIDENTE OU PRESIDENTA ?

Vejamos o que nos diz Paquale Cipro neto sobre o tema:


"Que têm em comum palavras como “pedinte”, “agente”, “fluente”, “gerente”, “caminhante”, “dirigente” etc.? Não é difícil, é? O ponto em comum é a terminação “-nte”, de origem latina. Essa terminação ocorre no particípio presente de verbos portugueses, italianos, espanhóis…
Termos como “presidente”, “dirigente”, “gerente”, entre inúmeros outros, são iguaizinhos nas três línguas, que, é sempre bom lembrar, nasceram do mesmo ventre. E que noção indica a terminação “-nte”? A de “agente”: gerente é quem gere, presidente é quem preside, dirigente é quem dirige e assim por diante.
Normalmente essas palavras têm forma fixa, isto é, são iguais para o masculino e para o feminino; o que muda é o artigo (o/a gerente, o/a dirigente, o/a pagante, o/a pedinte). Em alguns (raros) casos, o uso fixa como alternativas as formas exclusivamente femininas, em que o “e” final dá lugar a um “a”. Um desses casos é o de “parenta”, forma exclusivamente feminina e não obrigatória (pode-se dizer “minha parente” ou “minha parenta”, por exemplo). Outro desses casos é justamente o de “presidenta”: pode-se dizer “a presidente” ou “a presidenta”.
A esta altura alguém talvez já esteja dizendo que, por ser a primeira presidente/a do Brasil, Dilma Rousseff tem o direito de escolher. Sem dúvida nenhuma, ela tem esse e outros direitos. Se ela disser que quer ser chamada de “presidenta”, que seja feita a sua vontade -por que não?"

 

ENTÃO, A LEI:

 

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.605, DE3 DE ABRIL DE 2012.

 

Determina o emprego obrigatório da flexão de gênero para nomear profissão ou grau em diplomas.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o As instituições de ensino públicas e privadas expedirão diplomas e certificados com a flexão de gênero correspondente ao sexo da pessoa diplomada, ao designar a profissão e o grau obtido.

Art. 2o As pessoas já diplomadas poderão requerer das instituições referidas no art. 1o a reemissão gratuita dos diplomas, com a devida correção, segundo regulamento do respectivo sistema de ensino.

Art. 3o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 3 de abril de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
Aloizio Mercadante
Eleonora Menicucci de Oliveira

Este texto não substitui o publicado no DOU de 4.4.2012

 

 

VOCÊ SABE A DIFERENÇA ENTRE SALÁRIO E REMUNERAÇÃO?

 

Para quem ainda tem dúvida sobre o particípio:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RECOMENDADO!  Recém publicado, o livro do Prof. Jorge Henrique Franco Godoy é uma excelente obra para quem quer conhecer  os meandros do Tribunal do Júri, inclusive de casos famosos como o do Cabo Hércules. Prefaciado pela Desembragadora Maria Erotides Keneip Baranjak e revisado por esta professora, esta obra empolga pelo tom despretensioso e divertido! Interessante para quem pretende "melhorar seus argumentos".

 

 

 

 

 

 

 

"Meu pai sempre dizia: Não levante A SUA VOZ,  melhore os seus ARGUMENTOS."

Arcebispo Desmond Tutu. Prêmio Nobel da Paz. (Revista Veja, 11 de abril de 2012)

 

 

 

 

Vi no Facebook e fiz questão de postar aqui, às vezes, contando ninguém acredita!

 

Esta página foi desenvolvida para VOCÊ! Envie-nos suas dúvidas, sugestões, críticas  etc...

OBRIGADA!